sexta-feira, 12 de julho de 2013

Mind Your Manners: Letra, Tradução e Análise



Coloco abaixo a letra não oficial e com alguns pequenos trechos ainda inconclusivos, a tradução que fiz (desculpem qualquer problemas) e a análise que fiz dela!

PEARL JAM - MIND TOUR MANNERS:

I got an unfortunate feeling I been beating down
I feel I don’t believe and now truth is coming out
What they'll take is more than a vow...
They’ve taken young innocents and then they throw 'em on a burning pile aha hey hey

All along they're saying...
Mind your manners

I caught myself believing that I needed God (a Gun?)
And if it's out there somewhere we sure could use him (it?) now
Tried my patience, my patience tried
This world's a lonely planet and it makes me wanna cry aye aye hey hey

All along they're saying...
Mind your manners
So they say!

Self-realized and metaphysically redeemed...
May not live another life, May not solve our mystery
Right around the corner could be bigger than ourselves
We could will into the sky or we could something else

And all along they're saying...
Mind your manners
Always praying

Self-realized and metaphysically redeemed...
May not live another life, May not solve our mystery
Right around the corner could be bigger than ourselves
We could will into the sky or we could something else

Go to Heaven (that’s swell)
How do you like it? (living in Hell)
Go to Heaven (that’s swell)
How do you like it? (living in Hell)
Go to Heaven (that’s swell)
How do you like it? (living in Hell)
Living in Hell.


TRADUÇÃO:

Tenho a infeliz sensação de que fui espancado,
Sinto que não acredito e agora a verdade está vindo à tona;
O que eles tomam de você é mais que seu juramento,
Ele pegaram jovens inocentes e atiraram a uma pilha em chamas.

E desde então eles dizem:
Cuide das suas maneiras.

Percebi que estava acreditando que precisava de um Deus,
E se ele estiver em algum lugar por aí, nós podemos precisar.
Tentou a minha paciência, paciência tentada;
Esse mundo é um lugar solitário e me faz querer chorar.

E desde então ele dizem:
Cuide das suas maneiras.

Auto realizado e metafisicamente redimido.
Podem não viver uma outra vida, podem não resolver nosso mistério,
O “logo ali na esquina” pode ser maior que nós mesmos *
Podemos decidir pelo paraíso ou podemos outra coisa.

E desde então ele dizem:
Cuide das suas maneiras.
Sempre rezando.

Auto realizado e metafisicamente redimido...
Pode não viver uma outra vida, pode não resolver nosso mistério,
O “logo ali na esquina” pode ser maior que nós mesmos *
Podemos decidir pelo paraíso ou podemos outra coisa.

Vá para o céu (isso é crescer)
O que você achou? (É viver no inferno)
(3x)

(O inferno vivo)


ANÁLISE:

Quando ouvi a MYM pela primeira vez ela parecia um amontoado de coisas ao mesmo tempo: pesada, as partes da letra que eu conseguia entender pareciam ser muito mais estruturadas (diferente de boa parte do Backspacer), os backing vocals se sobrepondo em vários trechos... Enfim, ela parecia difícil de entender. Mas, ao ouvir mais vezes, percebi o quanto ela é boa! A primeira sensação que tive foi compará-la a Supersonic: rápida, barulhenta e com uma mensagem rápida para os fãs, mas, depois de conseguir apreendê-la melhor (essa palavra define bem) vi o quanto ela é muito superior, à exceção de "Spin the Black Circle", a qualquer música estilo "Supersonic". 

O começo já passa uma sensação da alucinação que está por vir: um ritmo forte e revoltado, um riff que pega e te leva durante toda ela e o melhor de tudo aqui: a raiva com que o Eddie canta! Tudo isso faz dessa música uma excelente abertura para essa nova fase "Lightning Bolt". Todos os atributos são mais trabalhados e soam muito melhor que no Backspacer; parece que a banda amadureceu, e muito, tudo aquilo que eles vinham fazendo nos últimos 5 anos. Para mim, o ingrediente que causou essa melhora (pelo menos até agora... Ouvimos uma música só!) é a sensação de insatisfação com algo. Vários comentários aqui no blog e outros lugares mencionavam que faltava isso na banda e principalmente no Eddie: a impressão de que algo está errado. E a letra da MYM é ótima ao criticar duramente a religião e, menos diretamente, Deus. Não sei se o Eddie é ateu (ele dá a entender que sim, mas às vezes eu fico na dúvida), mas essa pesada critica à religião é o resultado dessa insatisfação. Espero que nas outras músicas isso se estenda a outras áreas, mantendo assim essa crítica que, ao meu ver, parece que vai ser a temática geral do Lighting Bolt: toques de Backspacer mas com a banda mais madura, muito mais criativa e, reforço, insatisfeita com o seu entorno.

A construção da MYM é bem padrão rock, e eu gosto disso: verso, refrão, verso, refrão, bridge, solo e um final mais forte. Mas ela não é "apenas uma música de rock"; o Pearl Jam conseguiu colocar a sua identidade nesses pouco mais de dois minutos dela. Ela soa como Pearl Jam (como o Stone disse em entrevista), e é isso que me deixa muito animado com o que está por vir na outras 11 músicas! A MYM era pra ser apenas uma amostra do novo álbum, mas ela diz muita coisa, já é a cara do Lightning Bolt (não estou dizendo que todo o álbum vai soar assim, mas que ela mostra toda o potencial do que vem por aí). É densa, pesada, tem uma letra ótima e soa mais Pearl Jam do que a maioria do Backspacer.

Para finalizar, posso dizer que fiquei muito satisfeito! E pra quem ainda não se convenceu daquilo que ouviu, peço que ouçam com mais carinho, tenho a impressão que a MYM vai crescer muito com o tempo e não virar a "The Fixer" (uma música mais rala e enjoativa), mas uma música densa e com uma mensagem marcante que permanecerá por muito tempo.

Desculpem o excesso de comparação com o Backspacer, mas eu gosto de analisar esse caminho que o Pearl Jam faz ao longo dos seus álbuns!

 E aí? Mais comentários! Quero saber mais de todo mundo!


24 comentários:

  1. João Marinho Chinaski12 de julho de 2013 16:12

    Caraca João, eu lembro que comentei aqui sobre o "som plastificado" que o PJ vinha fazendo ha alguns anos. Acho que com esse single já posso mudar meu pensamento. Incrível como eles nunca nos deixam na mão!

    Gostei muito da introdução desta, e logo vira o que podemos chamar de Punk Rock Grunge. Puro, como o bom e velho rock deve ser. A letra é muito boa e mesmo com a idade avançando como é natural, o PJ não deixa a peteca cair.

    Anteriormente tivemos "The Fixer" como single. Pop? Um pouco... "Mind Your Manners" Rock? até o talo!!!!

    Quero saber tua opinião João. Manda aí pra gente quando der.


    Abraço Jammers!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É isso aí João, o som parece mais puro, menos quadrado! Mais rock impossível! Escrevi a análise e acabei de publicar!

      Excluir
  2. Depois de 4 anos esperando o sucessor do backspacer ao ouvir essa musica (e of the earth que talvez esteja no disco novo) sinto que a inspiração mais metafísica do Eddie voltou. A letra me lembra algo espiritual como no abacate (marker in the sand, inside job, life wasted), algo profundo e crítico, coisa que senti falta no backspacer. O eddie é um ótimo letrista quando se trata temas mais profundos e essa letra é muito boa. A musica lembra muito o começo dos 90, principalmente o Soundgarden e o Matt fez um ótimo trabalho. Agora é esperar o restante do album ansiosamente.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo 100 %. O Eddie parece muito mais preocupado com a letra! E para tratar de um tema como esse que a MYM fala é preciso ir mais fundo e escrever algo com muito mais cuidado...

      Excluir
  3. Bem ateísta a letra ou impressão minha?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Talvez... De qualquer forma, faz tempo que não via uma crítica tão dura à religião em uma letra do Eddie...

      Excluir
  4. Concordo com vc João. Apesar de gostar do Backspacer, acho até pq é o pearl jam...kkkk

    O que sinto é que o Eddie ficou meio perdido sem o Bush!! Ele e sua forma de governar era a grande inspiração da banda!!...kkkk
    Com isso ele e a banda fizeram Backspacer sem falar de política e de letras mais leves. Acredito que o próprio Eddie e a banda sentiram a falta desta pegada e MYM é a prova disso. Acho que teremos mais assuntos polêmicos nas letras e músicas do PJ.

    Vamos comemorar a volta do PJ como um raio

    abraços a todos

    ResponderExcluir
  5. Ainda acho que Backspacer é um bom disco por seus motivos. Sem comparar com outros. É leve, descontraído e pop. Acho válido que toda banda tenha um disco assim no catalogo, mostra bem as vertentes musicais do membros. Tem vezes que precisamos de um CD fácil, mais alegre... É bom ver que o PJ consegue ser mais otimista as vezes. Espero que o Lightinig Bolt tenha espaço pra isso também. Afinal, os caras estão casados, com filhos, maduros, com dinheiro, sabem o que é felicidade também. Não acredito que seja só nos assuntos polêmicos e nos tristes que se consegue fazer música boa. Uma das grandes inspirações da banda, Neil Young, taí pra provar isso.

    Sobre MYM: que musica. Pegada punk, digna de rodas em shows, refrão mais melódico e que empolga. O número certo pra o primeiro single. Animou demais pra ver o resto do disco. Que parece que vai seguir mais a linha do Abacate. Espero que me surpreenda nisso e que ele tenha sua própria identidade.

    Excelente tradução da letra, João! Acho que a música não é bem ateísta... pode ser que o Eddie Vedder (ou o(s) compositor(es) da música) seja ateu, mas a música é uma critica à quem prega as religiões. Ao modo como se comporta essas pessoas, e que o autor discorda delas. Talvez ele acredite que Deus existe, mas que não devemos esperar por respostas divinas pra fazermos o certo aqui.

    Mas ainda não estou certo sobre o significado da letra. Por ora, digo que gostei da música como um rock que é o que espero e gosto na banda

    ResponderExcluir
  6. Parabéns pela análise João! Concordo com tudo, gênero, número e grau!
    Só nos resta mesmo, aguardar as outras 11 músicas... rsrsrsrs

    MYM mostrou o seu "cartão de visitas" rock afiado, guitarra pesada, letra profunda etc etc, O bom e véio rock n roll do PJ está de volta! Go PJ! Avante! :P

    ResponderExcluir
  7. Parabéns João pelo Blog, parabéns companheiros pelas palavras.

    Antes de mais nada; para mim, e eu acho que pela maioria MYM já é o melhor single do ano! Porém... depois de 4 anos de espera, posso afirmar que este é o pior single dos 10 álbuns!

    Música Lado B, Meio Punk, Utilizada para preencher os álbuns...
    Não pode ser a música de trabalho... Lembra Comatose, lembra Olé, lembra Spin...
    Saudades do tempo em que a banda compunha em conjunto...
    Stone apresentava um Riff, Eddie acrescentava a letra.
    Hoje a idéia musical já vem pronta! Falta a parceria, a química...
    Produção: a volta do Brendan, só fez mau a banda. Backspacer é um albúm frustrante, só perdendo para Riot Act. O vocal alto demais, instrumental baixo, falta de riff, falta de solos de guitarra.
    Em Mind Your Manners, a introdução é sensacional... até cair na mesmice!
    Música previsível, após a introdução, você sabe onde a música vai te levar. Não tem nenhuma surpresa. Engraçado que a "introdução sensacional" tinha espaço para encaixar em outras partes da música. Cadê o feeling do produtor...
    Matt Cameron.. Bom garoto, Bastante técnico, Munheca leve... Cadê a energia. Pearl Jam é uma banda de hard rock comum, o que difere é a energia! O Dave e o Irons tinham as suas limitações mas tinham mais haver com a banda... (Façam uma comparação entre o solo de bateria do Irons com o do Cameron em Immortality).

    O que me deixa triste é ver que os músicos evoluíram...
    Mike é uma unanimidade...
    Jeff, surpreendeu com os seus projetos paralelos...
    Stone, lançou o melhor álbum do Brad (Slide Guitar sensacional).
    O seu disco solo, se tivesse um instrumental mais caprichado, e um vocal marcante, seria o disco do ano.
    Eddie. Bem o Eddie é o cara. Um dos vocalistas mais copiados de todos os tempos. A emoção da banda.
    É isso que me deixa P...! Os caras tem potencial.

    Meu medo é que o lançamento de um material novo seja uma obrigação!

    Estou na torcida, para que MYM, seja a pior canção do albúm.

    Que venha um álbum recheado de músicas Punk com 2:30 de duração.

    Obs.: Acho que liberaram o single muito cedo, faltam 3 meses para o lançamento do álbum. Tem algo aí!

    É... por hoje é só, vamos continuar ouvindo a musica nova exaustivamente! Ela é foda!

    Abs,

    Le Diniz

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala, Le. Acho que vc disse tudo. Nada de novo! O single, apesar não ser ruim, parece material que sobrou dos dois últimos discos. Tinha receio disso. Se seguir esta linha, temos aí pela frente mais um disco meia-boca (calma, galera - disso isso se comparado com os álbuns geniais (Yield, VS, Vitalogy, No Code). Seria uma pena! Outra coisa que me deixou um pouco perturbado foi ler que o Mike disse sobre as músicas lembrarem Pink Floyd e U2. Pôxa, uma banda como Pearl Jam, com tamanha personalidade, que fez história e continua consagrada 20 anos depois, tem que fazer música como Pearl Jam, de preferência seguindo a linha dos álbuns "hors concours" da banda. Mas tudo bem, se não for possível então é melhor que lembrem mesmo Pink Floyd do que Backspacer. Tenho certeza que muita gente concorda com isso, mas tenho quase certeza que isso não chega nos caras. É mais fácil ouvir o que se quer ouvir e para isso existe um coro de fãs que aceitam qualquer coisa, contanto que tenha marca "Pearl Jam".

      Excluir
    2. Discordo totalmente dos dois, já senti isso o que vcs estão sentindo, mas quando lançarem o album, podem me cobrar, vão mudar de idéia...a humildade da banda chega a irritar, o potencial da banda é indiscutivel, mas o gostinho de "é legal mas poderia ser melhor" é o que faz a banda ser o que é hoje, e fazer uma música despretenciosa dessa, mas mostrar muito vigor.
      Eu meto o pau nessa idéia da banda querer fazer música punk, sem saber, na minha opinião. Mas, essa música é diferente, diferente de tudo, quem está comparando isso a supersonic, spin the black circle, camatose, é puro engano, e chega a ser lamentavel a comparação. Essa é complexa, vital, pura, forte e mostra a volta da revolta de Eddie, o que faz ser o que é!
      Backspacer é muito bom, mas falta o protesto de binaural, a revolta de Vitalogy e a complexidade de Yeld...
      Cada album novo falta algo de outro...cara, na verdade quem somos nós para criticar algo em que Eddie está envolvido. Ele é genio!!!
      Essa música é otima e não será a encantadora do novo trabalho. E não sintam saudades de algo antigo da banda, ouvi a musica nova do Alice in Chains, e dá desgosto: Cover do passado, tenho ódio disso!

      Excluir
  8. Religião e Política é um prato cheio para discussões/reflexões.

    Religião e política/governo são sistemas que tentam nos controlar, com suas éticas, leis, moralidades ou estilos de vida. Mata-se por um ou outro, ou por ambos.
    Isso nos oprime? Sim, por vermos irmãos matando-se e morrendo por uma causa, que, talvez, mais tarde, descobrimos que fomos manipulados para agirmos de acordo com os interesses dos mandantes. E esta constatação nos deixa só, perdidos, espancados, desamparados, chorosos, deprimidos...[Veja este depoimento no site: http://www.youtube.com/watch?v=U6IuyKBkDJg&feature=c4-overview&list=UUP6L9TPS3pHccVRiDB_cvqQ antes que saia do ar, porque o site dele já está http://padrepauloricardo.org , e tire suas conclusões. É assustador!]
    Mas há a necessidade de um "deus" para nos conduzir, porque, caso contrário, seria um caos, tanto no lado espiritural quanto no terreno.
    Acho que é por aí o tema da letra.
    Quanto à melodia, sensacionais as viradas da bateria, as levadas das guitarras e do baixo... É rock 'n roll!!!!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Minha cara Luzia que indicação de video infeliz!!!! Um padre da opus dei, defensor da tradição, família e propriedade profanando idiotices em nome de um deus... Vc vai me desculpar!!!! Só faltou dizer que comunista come criancinha. Em tempo: a história da igreja católica é um exemplo de vida e esse padre é isento de pecados???? MIND YOUR MANNERS!!! Por gentileza, mais critério quando indicar alguma coisa. Infelizmente a internet permite a divulgação desse tipo de ignorância....

      Excluir
    2. Calma, anônimo!
      Você captou a analogia que fiz à artwork da MYM.

      Excluir
  9. concordo com o anônimo ali de cima, não acho que matt Cameron seja ruim na bateria, mais concordo que dave e jack irons era melhor, acho o matt um cara legal e bastante responsável pois nunca deixou pearl jam não mão, mais sinto falta de uma batita mais pesada na bateria.

    ResponderExcluir
  10. O problema dos fãs do PJ é que eles vivem de comparação. Um trabalho não pode ser analisado por si só, precisa ser comparado ao Ten ou ao No Code, etc. E se não for igual, é ruim. Medir qualidade diante de tamanha diferença de estilos? É uma música punk, e querem virtuosidade? Curtam a música pelo que ela é, e não pelo que deveria ser. Todos os estilos tem algo a acrescentar e admiro essa dinâmica musical do PJ.

    ResponderExcluir
  11. João será que nesse ponto: "I caught myself believing that I needed God", pode ser gun no lugar de god? Fiquei com esta impressão....
    Adorei tudo que esta musica trouxe de volta , a pegada punk bem rápida,uma letra acida , difícil de digerir , e os vocais fortes que com a idade do Eddie chegando estão cada vez mais raros .mesmo concordando com o comentário anterior de que o Matt Cameron é um pouco mole, acho que nesse single ele mostrou mais força que o de costume .Adorei a musica , achei que realmente soa como Pearl Jam, tem uma pegada de rock anos 90 que eu gosto muito . Mais também não tenho nenhum conhecimento musical pra falar, só sei do que gosto. Porém não posso dizer que tenha compreendido totalmente a mensagem na letra. Mais vou adorar continuar tentando... diariamente.
    Muito obrigada João pela letra e pela análise, como sempre muito boas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Parece "gun" mesmo.

      Música boa dentro desse estilo.

      .....
      E daqueles vários possiveis setlists não oficiais do album algum acertou o titulo e na quantidade de musicas?

      Excluir
    2. E "...use him now" seria "... use it now" ?

      Excluir
  12. Cara é tão legal quando uma banda pode fazer um álbum e fazer do modo que eles querem. Sem interferência externa. Quando eles fizeram o Backspacer sempre o objetivo foi parecer pop (The Fixer com o refrão se repetindo varias vezes). Cada álbum que eles lançam é seguindo uma linha de raciocínio (se é o modo de gravação ou o tema das letras). Nós fãs estamos aqui para gostar ou não e ir para os shows. É desse modo que eles se sentem bem e continuam com vontade de tocar juntos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É, eles conquistaram a tão merecida independência. Fazem o que querem, quando querem e não precisam se entregar a exigências de terceiros na hora de decidiram as coisas (pelo menos as mais importantes).

      Excluir
  13. Coisarada o som mesmo. Altos clip de surf dá prá imaginar! Pensar que é a mesma banda que gravou o Ten, tá lançando essa música agora... é muito massa mesmo!!!

    ResponderExcluir